Um “Banksy” russo

Suas obras lembram a franqueza e o espírito de guerrilha dos grafites do artista contemporâneo inglês, Banksy. Ele assina “183”, tem 28 anos e diz que ser grafiteiro na Rússia é mais difícil que em qualquer outro lugar do mundo. As leis são muito rigorosas, mas, por outro lado, os russos estão acostumados a afrontar todo tipo de situação com imaginação e, atualmente, a arte de rua está tomando grande impulso e ganhando espaço. Uma de suas obras mais famosas consiste em transformar um poste de iluminação pública em uma haste de óculos pintado no chão. “183” gosta de perambular pelas ruas da cidade em busca de lugares onde as pinturas possam se integrar ao lirismo das paisagens.

Obras de “183”, o “Banksy” russo.

Sobre Vânia Myrrha

Vânia Myrrha é arquiteta, professora de História da Arte, da Arquitetura e do Design. Doutoranda em Design na Universidade do Estado de Minas Gerais. Mestre em Arquitetura e Urbanismo - UFMG. Especialista em História da Arte pela PUC Minas. Especialista em Arte Contemporânea pelo IEC - Instituto de Educação Continuada - PUC Minas.
Esse post foi publicado em Arte, Grafite, História da Arte e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s