O Jardim das Delícias

Hieronymus Bosch, O Jardim das Delícias, Museu do Prado, Madrid

Juan Ibáñez, um artista de Sevilha, Espanha, tem uma maneira peculiar para reinterpretar obras de arte. Ibáñez dá vida a uma obra por meio de seus próprios elementos, recriando cenas e oferecendo uma nova leitura ao incorporar técnicas artísticas não relacionadas ao trabalho original, como textos poéticos e música, no caso de uma pintura. É uma produção artística interessante e necessária. O trabalho do artista traz os clássicos da arte a novos públicos e proporciona um estímulo inicial aos jovens, ao utilizar uma linguagem atual e agradável, que, posteriormente, pode levar ao interesse por uma compreensão mais profunda desses artistas e de suas obras, que constituem a memória cultural da arte.

Sobre Vânia Myrrha

Vânia Myrrha é arquiteta, professora de História da Arte, da Arquitetura e do Design. Doutoranda em Design na Universidade do Estado de Minas Gerais. Mestre em Arquitetura e Urbanismo - UFMG. Especialista em História da Arte pela PUC Minas. Especialista em Arte Contemporânea pelo IEC - Instituto de Educação Continuada - PUC Minas.
Esse post foi publicado em Arte, História da Arte, Memória, Painting, Releitura e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s